O Mundo do trabalho individualizado: o home office como opção laboral para lésbicas e gays em tempos de consolidação das tecnologias digitais na concepção cultural

  • Adriano Rogério Mastroléa
Palabras clave: LGBT, Trabalho, Lésbicas, Gays, Tecnologias Digitais

Resumen

Esta pesquisa pretendeu investigar as percepções sobre o trabalho que gays e lésbicas elaboram a partir de sua atuação na modalidade home office. O recorte se justifica pela contribuição que a pesquisa pode trazer para as articulações entre trabalho e sexualidade, até então pouco exploradas na bibliografia deste campo de pesquisa. A proposta deste trabalho de pesquisa foi no sentido de buscar elementos em torno do lugar social e as concepções de vida, de trabalho e de mundo da população LGBT, mais especificamente lésbicas e gays, podendo representar uma nova face das relações de trabalho no atual estágio de desenvolvimento tecnológico, além de explorar os aspectos culturais em torno dos quais se transformam nesta fase do desenvolvimento do capitalismo.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Adriano Rogério Mastroléa
Graduado em Ciências Sociais - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), São Paulo, Brasil.

Referencias

ALVES, Giovanni. Trabalho e Reestruturação Produtiva do Brasil neoliberal – precarização do trabalho e redundância salarial. (p. 188-197). In: Revista Katálysis, V. 12. n. 2 (jul/dez. 2009). Florianópolis: Ed. UFSC, 2009.

ARAÚJO, Tatiana Sada Jordão. O papel do Judiciário no reconhecimento de direitos aos homossexuais: um estudo de caso envolvendo assédio moral no local de trabalho. In: Encontro Nacional da ABET, XV, 2017. Rio de Janeiro. Anais do XV Encontro Nacional da Associação brasileira de Estudos do Trabalho, Rio de Janeiro.

BAPTISTA, D. M. A utilização da Internet como ferramenta indispensável na busca contemporânea de informação: alguns aspectos relevantes. Revista Informação & Informação [online], v.12, n.1, Jan.\Jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 17 Set. 2019.

BRAH, Avtar. “Diferença, diversidade, diferenciação”. Cadernos Pagu, v. 26, pp. 329-376, 2006.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista. São Paulo, Zahar, 1977.

COSTA, Isabel de Sá Affonso da. Teletrabalho: subjugação e construção de subjetividades. Rev. Adm. Pública [online]. 2007, vol.41, n.1, pp.105-124.
CLASTRES, Pierre. O Arco e o Cesto. In:________. A sociedade contra o Estado. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1990. Cap. 5, p.71 - 89.

DAMIÃO, A. P; FÉLIX, S. A.Modernidade e globalização neoliberal: a “nova”condição do trabalho e dos trabalhadores no contexto da mentalidade de curto prazo. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, vol. 16, n. 2, p. 211-225, 2013.

FERREIRA, Renata Costa. O gay no ambiente de trabalho: Análise dos efeitos de ser gay nas organizações contemporâneas. 2007. 126p. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Documentação, Universidade de Brasília, Brasília.

FLOYD, Kevin. “Making History: Marxism, Queer Theory, and Contradiction in the Future of American Studies”. Cultural Critique, No. 40, The Futures of American Studies (Autumn, 1998), pp. 167-201
.

HARVEY, David. Condição Pós-moderna. São Paulo, Loyola, 1996.

HILL COLLINS, Patricia. “Em direção a uma nova visão: raça, classe e gênero como categorias de análise e conexão”. In: MORENO, Renata. Reflexões e práticas de transformação feminista. Cadernos Sempreviva, São Paulo, 2015.

IBARRA, David. O neoliberalismo na América Latina. Revista de Economia Política, vol. 31, nº 2 (122), pp. 238-248, 2011.

IRIGARAY, H. A. R.; FREITAS, M. E. Sexualidade e organizações: estudo sobre lésbicas no ambiente de trabalho. Organizações & Sociedade, vol.18, nº 59, p. 625-641, 2011. Estratégia de Sobrevivência dos Gays no Ambiente de Trabalho. Psicologia Política. vol. 13. nº 26. pp. 75-92, 2013

LUNA, Roger Augusto. Home Office: um novo modelo de negócio e uma alternativa para os centros urbanos. Revista Pensar Gestão e Administração (online), v.3, n.1, jul. 2014.

MENDES, C. M. A pesquisa on-line: potencialidades da pesquisa qualitativa no ambiente virtual. Hipertextus Revista Digital [online], n.2, Jan. 2009. Disponível em: . Acesso em: 17 Set. 2019.

MINTZ, S. W. Encontrando Taso, me descobrindo. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 27, n. 1, p. 45-58, 1984.

NOVO, Arthur Leonardo Costa. O armário na escola: regimes de visibilidade de professores lésbicas e gays. 2015. 205p. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

PAULANI, Leda. Hayek e o individualismo no discurso econômico. Lua Nova, n. 38, pp. 97-124, 1996.

PONTES, H. Inventário sob forma de fichário. Paixão e compaixão: militância e objetividade na pesquisa antropológica. Revista de Antropologia, São Paulo, v. 36, p. 123-135, dec. 1993.

SCOTT, Joan. “A invisibilidade da experiência”. Projeto História, n.16, pp.297-325, 1998.

SEARS, Alan. “Queer Anti-Capitalism: What's Left of Lesbian and Gay Liberation?”.
 Science & Society, Vol. 69, No. 1, Marxist-Feminist Thought Today (Jan., 2005), pp. 92-112
.

SILVA, R. R. Home Officer: um surgimento bem-sucedido da profissão pós-fordista, uma alternativa positiva para os centros urbanos. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 1, n. 1, p. 85-94, 2009.

SIMÕES, J. A. A sexualidade como questão social e política. In: ALMEIDA, H.B.; SZWAKO, J. Diferenças, igualdades. São Paulo: Berlendis & Vertecchia Editores, 2009. Cap. 5, p. 152 -192.

SIQUEIRA, M. et al. Homofobia e violência moral no trabalho no Distrito Federal. Organização & Sociedade, v. 16, nº 50, p. 447‑461, 2009.

TOSE, Marília G. L. S. Teletrabalho: A prática do trabalho e a organização subjetiva dos seus agentes. 2005. 194p. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

VENCO, Selma Borghi. Tempos moderníssimos nas engrenagens do telemarketing. 2006. 312p. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

VIEIRA, H. C.; CASTRO, A. E. de; JUNIOR, V. F. S. (2010) - “O uso de questionários via e-mail em pesquisas acadêmicas sob a ótica dos respondentes”. XIII SEMEAD Seminários em Administração. Universidade Federal de Santa Maria. Brasil. Disponível em: . Acesso em: 17 Set. 2019.
Publicado
2019-11-13
Cómo citar
Mastroléa, A. R. (2019). O Mundo do trabalho individualizado: o home office como opção laboral para lésbicas e gays em tempos de consolidação das tecnologias digitais na concepção cultural. Revista RETO, 7(1), 90-119. https://doi.org/10.23850/23338059.2522
Sección
Artículos